Câmara de Paredes de Coura quer empresas tecnológicas

Alto Minho

autor

José Paulo Silva

contactar num. de artigos 2232

Dar especial atenção à fixação de empresas tecnológicas foi o propósito anunciado ontem por Vítor Paulo Pereira, reeleito presidente da Câmara Municipal de Paredes de Coura, no discurso de tomada de posse para um novo mandato autárquico, durante o qual promete não esquecer os idosos, as crianças e os jovens.
“Aprofundaremos o nosso compromisso social, cultural e educacional que iniciámos no anterior mandato”, assegurou o edil socialista que governará a Câmara Municipal de Paredes de Coura sem oposição na vereação.

Vítor Paulo Pereira e os seus quatro vereadores eleitos entendem a Câmara Municipal como “uma instituição em mudança constante”, defendendo que a fixação de pessoas no seu território exige “uma dinâmica económica constante porque só esta consegue fixar inteligência”.
Na tomada de posse para o mandato 2017-2021, o edil courense reconheceu que “não vamos conseguir no imediato mudar a curva demográfica, porque para isso era preciso mudar a curva mental dos tempos de hoje”.

Assim sendo, “o que temos de fazer é criar emprego, para fixar os nossos jovens e apostar muito na educação e na cultura”.
No entendimento do homem que assume “sem arrogância” que Paredes de Coura é “uma terra que faz diferente e que é referência ao nível nacional”, se houver coragem de fazer uma terra aberta ao mundo “serão muitas as pessoas que virão para Paredes de Coura para fixarem residência e permanecerem por largas temporadas no nosso território”.

O presidente da Câmara Municipal de Paredes de Coura voltou a contrariar os “discursos fatalistas da geografia”. Assumiu, sim, que “o futuro das terras afastadas de Lisboa depende, sobretudo, das pessoas, da sua ousadia, do seu optimismo, da sua força, da sua capacidade de trilhar caminhos de desenvolvimento económico alternativos e sustentáveis”.

Vítor Paulo Pereira avisou que “não passamos a vida a queixarmo-nos de Lisboa, nem estamos à espera que Lisboa resolva os nossos problemas, nem muito menos esperamos pelas suas dádivas culturais porque isso representa paternalismo, servidão e resignação”.

Também alertou que “não adianta ter saudades do passado, porque o passado passou. O que devemos é ter saudades do futuro”.
Perspectivando os próximos anos, afirmou que “o melhor está para vir”, convicção dita “com a confiança da gente simples que acredita na força do trabalho, do mérito e do empenho”.

José Augusto Peixoto reeleito para quarto mandato na Assembleia Municipal

Reconduzido ontem para um quarto mandato como presidente da Assembleia Municipal de Paredes de Coura, José Augusto Peixoto, apelou aos eleitos no passado dia 1 de Outubro que “coloquem em primeiro lugar os interesses do concelho”. No rescaldo da vitória esmagadora do Partido Socialista no concelho de Paredes de Coura, o líder do plenário municipal classificou as eleições autárquicas a expressão maior do exercício livre da Democracia, considerando que as mesmas decorreram com respeito de “todos os princípios democráticos”.

“Apesar da importância de outras eleições, as autárquicas são únicas num concelho”, afirmou este docente universitário, na curta intervenção que fez antes da tomada de posse dos eleitos da Câmara e Assembleia Municipal.
A nova Assembleia Municipal de Paredes de Coura é constituída por 13 lugares do Partido Socialista, três do PSD e um da CDU.

Nas últimas eleições autárquicas, a lista socialista arrecadou 67,23% dos votos expressos, substancialmente mais que os 44, 15% obtidos em 2013, alargando de 8 para 13 lugares a sua bancada na Assembleia Municipal.
O PSD perdeu quatro assentos em relação ao anterior mandato autárquico, enquanto a CDU passou de dois para apenas um eleito na Assembleia Municipal.
Com a vitória também esmagadora ao nível das freguesias, o Partido Socialista junta à sua bancada na Assembleia Municipal 13 dos 16 presidentes de uniões e juntas de freguesia do concelho.

O autarca de Rubiães, eleito em lista independente, contou com o apoio do Partido Socialista.
De fora da larga mancha rosa da Assembleia Municipal de Paredes de Coura ficam apenas, no que respeita aos autarcas de freguesia com lugar por inerência, o presidente independente da União de Freguesias de Cossourado e Linhares e o autarca de Vascões, eleito pelo PSD.

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia