Cidade e UMinho apresentam-se aos novos alunos da academia

Ensino

autor

Patrícia Sousa

contactar num. de artigos 1807

Alguns tímidos, outros mais faladores. Uns já habituados a estas andanças, outros ainda a viver a primeira experiência universitária. Ontem as filas continuavam no pavilhão desportivo da Universidade do Minho (UMinho). Novos alunos apresentam-se para fazer a matrícula. Mas a Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM) preparou, como já é habitual, um programa de acolhimento para dar as boas-vindas a todos. Conhecer as dinâmicas da universidade e da cidade é o objectivo da AAUM juntos dos novos alunos, que podem fazer a matrícula até amanhã.

Sofia Alcaide, vice-presidente do Departamento Pedagógico da AAUM, referiu que o programa de acolhimento é idêntico ao do ano passado, quando a recepção passou a realizar-se no pavilhão nave 2. “Aqui temos a possibilidade de realizar mais dinâmicas para desenvolver a temática escolhida ‘Era uma vez’, dando oportunidade de mostrar a imensidade de actividades existentes na UMinho e na cidade”, explicou Sofia Alcaide.

Para além dos vários grupos culturais, que estão presentes, com o objectivo de dar a conhecer as actividades, são muitas as empresas privadas e instituições públicas que aproveitam a oportunidade para se mostrar. “Os primeiros dois dias, como vieram muitos alunos, quando aqui chegavam vinham muito cansados. A partir de hoje (ontem) já vêm mais dispersos e não têm que esperar tanto, por isso, estão mais disponíveis para conhecer e saber tudo”, confessou aquela responsável.

E Sofia Alcaide contou que todos os novos alunos têm dúvidas e anseios. “É normal, muitos deles não conhecem a cidade, outros são de cá mas não conhecem a universidade. Aparecem sempre muito interessados e querem sentir-se integrados”.
Este ano, são 30 os voluntários/multiplicadores que se inscreveram na AAUM para ajudar neste acolhimento. “Esta actividade também é muito importante para todos eles, conhecem muita gente a prendem muito também”, referiu.

O Correio do Minho falou com Eugénia Vieira, uma das voluntárias, que confidenciou que “os alunos não chegam preparados para as dificuldades burocráticas, por isso, ficam nervosos e ansiosos”. Cadeiras, opções, compra de livros, quando começam as aulas são as principais questões colocadas pelos novos estudantes aos voluntários que os estão a ajudar na integração na academia e na cidade.

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia