António de Carvalho: um visionário que revolucionou sector automóvel

Economia

autor

Redacção

contactar num. de artigos 32851

Prestes a celebrar os 60 anos de actividade, o bracarense António de Carvalho, fundador da Imporfase e de outras empresas como a Escapcar do ramo da indústria dos escapes para automóveis, mostra-se feliz com o legado que construiu ao longo dos anos.
Depois de ter iniciado a sua actividade empresarial na área das borrachas e plásticos, o empresário bracarense avançou nos negócios com uma visão bem clara daquilo que queria, implantando-se em Lisboa na indústria automóvel com a criação primeiro de uma empresa de acessórios auto - a Bortex, em 1956, e dois anos mais tarde entra na indústria dos escapes com a criação da fábrica.

“Na altura começaram a surgir várias oportunidades de negócio nesta área e os escapes eram uma área ainda por explorar. Nessa época, as oficinas não estavam preparadas para montar os escapes”, contou António Carvalho, a propósito do início dos seus negócios. “De facto a Bortex foi um sucesso no mercado, acima de tudo porque oferecia já serviços diferentes dos que habitualmente se faziam. As oficinas ainda não tinham elevadores e por isso não existiam grandes meios para montar os escapes e eu decidi investir e colocar elevadores que nos permitissem fazer esse trabalho e as nossas reparações começaram então a criar um público fiel e nunca mais parou de crescer”, afirmou, orgulhoso, o empresário e visionário bracarense.

Depois de alguns anos de crescimento na capital do país, António de Carvalho decidiu que estava na hora de regressar à sua terra natal - Braga. E foi em 1977 que cumpriu esse seu anseio, abrindo a Escapcar.
Foi precisamente em Braga que voltaria a inovar nos negócios ao enveredar pelo sector da importação, atraído já pela abolição da lei de importações, que antes de 1976 praticava impostos muito altos. “Com a possibilidade da importação, não necessitava de ter grandes fábricas ou grandes movimentos e, assim, além da importação, poderia dar ao cliente a mais-valia no artigo, uma vez que tudo o que era fabrico nacional ainda não tinha tecnologia nem quadros para fazer bem o que era importante”.

António de Carvalho tornou-se então num dos primeiros empresários do ramo a importar directamente, recordando que nessa altura, em plena década de 70, “os escapes ainda não eram uma actividade muito corriqueira”.
Depois de ter aberto a Escapcar em Braga, viria a expandir o negócio em vários locais como Póvoa de Varzim e Guimarães, reabrindo a Auto-Escape em Lisboa e em outros espaços. Entretanto abriu também as portas do armazém de importação da Imporfase, na Maia, em 1985.

Hoje o empresário bracarense conta com o apoio do filho, Filipe Carvalho, e tem já a sucessão assegurada. Carvalho diz que em 60 anos, o sector mudou muito e acabou por se modernizar. A Imporfase mantém-se na vanguarda. “Temos mais facilidades como, por exemplo, ao nível das encomendas que fazemos no estrangeiro”, frisou António de Carvalho, garantindo que “em 24 horas, temos o material necessário quando são encomendas urgentes, e uma das nossas apostas continua a ser a de fazer stocks para manter o máximo de rapidez nos serviços que prestamos”.

“Quando há uma ruptura de stocks garantimos ao cliente o serviço à porta, em 24 horas”, disse. Mas para o empresário, os seus colaboradores têm que estar sempre felizes. “Os meus colaboradores têm que estar sempre bem, de boa cara e em boas condições para enfrentar o cliente e trabalhar bem. Esse é um factor importante para o sucesso de qualquer empresa”, sublinha.

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia