Pontaria a mais de Santos ditou o empate

Desporto

autor

Carlos Costinha Sousa

contactar num. de artigos 753

Foi um jogo intenso, com o Sporting Clube de Braga a deixar uma boa imagem em campo e a conquistar um empate que, com um pouco mais de felicidade, podia mesmo ter sido uma vitória, não fosse a pontaria a mais de Pedro Santos. Na recepção ao FC Porto, os Guerreiros do Minho empataram a uma bola depois de terem estado na frente do marcador desde os seis minutos. Soares empatou para os dragões aos 61.
Uma entrada de verdadeiros Guerreiros do SC Braga que, logo aos seis minutos conseguiram adiantar-se no marcador, com Pedro Santos a saltar sozinho e de cabeça a fazer tremer o Estádio Municipal de Braga, debaixo de intensos festejos. Cruzamento com conta, peso e medida de Fede Cartabia para que um dos mais baixinhos em campo conseguisse cabecear com sucesso, dando vantagem madrugadora aos Guerreiros do Minho.
E uma vantagem que os bracarenses foram justificando ao longo dos primeiros 45 minutos, uma vez que foram a equipa que criou mais situações de perigo para a baliza adversária, apesar de em alguns momentos o FC Porto ter conseguido dominar o encontro, não criando, no entanto, grandes ocasiões para marcar, com Matheus a não ser chamado a intervir com qualquer defesa de maior dificuldade.
E os bracarenses estiveram muito perto de aumentar a vantagem num lance rápido de contra-ataque, em que Djavan aparece a cruzar com perigo, mas o remate saiu enrolado e sem grande perigo para as mãos de Casillas. Aos 34 minutos voltou a gritar-se golo no estádio, mas foi ilusão de óptica já que o remate de cabeça de Vukcevic em resposta a um livre apontado por Pedro Santos, acabou por embater nas malhas laterais da baliza de Casillas, enganando muitos dos adeptos bracarenses.
E em cima do apito final para o intervalo uma nova oportunidade soberana para o SC Braga voltar a marcar. Óliver tocou a bola com o braço dentro da grande área e o árbitro Hugo Miguel assinalou, e bem, a infracção. Penálti para os arsenalistas que o capitão Pedro Santos foi chamado a converter. No entanto, o extremo dos Guerreiros do Minho mostrou estar com pontaria a mais e acertou em cheio na trave, depois de enganar Casillas. Um lance infeliz de Pedro Santos que poderia ter levado a sua equipa para o intervalo com dois golos de vantagem.
No segundo tempo, como se esperava, o FC Porto entrou com uma pressão enorme que foi encostando o SC Braga ao seu reduto mais defensivo. Mas a pressão acabou por dar resultados aos 61 minutos, na sequência de um pontapé de canto, quando Soares saltou mais alto que os defesas arsenalistas e conseguiu mesmo bater Matheus, para o empate na partida.
E até ao final do encontro, os dragões foram mantendo a pressão intensa sobre o SC Braga. Uma pressão a todo o campo que dificultou imenso a tarefa dos bracarenses que, no entanto, foram conseguindo sempre manter-se concentrados e, com o decorrer dos minutos, mesmo com as forças a começarem a fraquejar, conseguiram aguentar as investidas ofensivas do FC Porto e garantir o empate a uma bola.

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia