Monção: Ana Zanatti apresentar um livro “aberto à diversidade” e “fechado ao preconceito”

Alto Minho

autor

Redacção

contactar num. de artigos 32078

Auditório bem preenchido, maioritariamente com público feminino, para ouvir a escritora e atriz Ana Zanatti apresentar um livro “aberto à diversidade” e “fechado ao preconceito”.
“O Sexo Inútil” absorve ambos os conceitos. Mas não só. Assume-se também como uma mensagem forte e esperançosa para quem é “diferente” aos olhos da sociedade. Ou como um “instrumento” para esgrimir a favor daquilo que somos. Independentemente do que sejamos.
A história, ou conjunto delas, tem um ponto de partida real. Por um lado, pessoas que, de alguma forma, viveram e enfrentaram situações de intolerância e incompreensão devido à sua orientação sexual. Por outro, jovens com enormes dificuldades em “legitimar” a sua homossexualidade.

Os testemunhos e depoimentos saídos do livro são esclarecedores e confrangedores quanto à interiorização desse facto pelos próprios e à aceitação do mesmo pelos demais. Por muito que tenhamos evoluído, afirma Ana Zanatti, a sociedade ainda não está preparada para acolher com normalidade a efetivação desse sentimento.

Que o diga Joana, estudante de medicina, 21 anos. Jovem que trocou centenas de correios eletrónicos com Ana Zanatti, dando-lhe conta da sua dificuldade em lidar com o preconceito, a indefinição emocional em que vivia constantemente e a incerteza em colocar a nu a sua homossexualidade.

No fundo, Joana foi o empurrão que Ana precisava para passar para o papel uma ideia que geminava há muitos anos. O outro argumento de peso foi a necessidade em ajudar as pessoas a ultrapassarem o medo e o receio que a questão suscita no círculo familiar e profissional.
O livro abre-se a uma imensa minoria para que as mentalidades adquiram um ritmo mais veloz e permitam fazer avanços na percepção e aceitação social da homossexualidade. Afinal, ainda há um longo caminho a percorrer para que, como referiu Ana Zanatti, estejam asseguradas condições de igualdade laborais e sociais a todas as pessoas independentemente da sua orientação sexual.


*** Nota elaborada pelo gabinete de comunicação da C. M. de Monção ***

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia