Alto Minho e Galiza lutam por desbloqueamento de candidatura de 7,5 milhões de euros

Alto Minho

autor

Redacção

contactar num. de artigos 31306

A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho e a região de Pontevedra, na Galiza, estão dispostas a recorrer a Bruxelas se não for desbloqueada uma candidatura de 7,5 milhões de euros para a valorização turística do rio Minho.
“Estamos insatisfeitos com o processo de análise da candidatura apresentada ao Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriço Espanha - Portugal (POCTEP). Iremos até Bruxelas se a questão não for resolvida na base do bom senso”, afirmou o presidente da CIM do Alto Minho, José Maria Costa.

O responsável reclamou aos governos de Portugal e Espanha “a máxima urgência na resolução das questões processuais relacionadas com a aprovação da candidatura ‘Visit Rio Minho’, até 8 de Março”.
Em causa está um investimento de 7,5 milhões de euros a aplicar até 2019 nas potencialidades daquele rio internacional.

Aquela candidatura conjunta, apresentada em Janeiro de 2016 pela Uniminho, associação transfronteiriça constituída por 15 municípios portugueses e galegos, resultou do trabalho desenvolvido no âmbito do Pacto do Rio Minho Transfronteiriço assinado em 10 de Março de 2015.
O investimento incluído na candidatura ‘Visit Rio Minho’ será aplicado “na preservação e valorização do rio Minho transfronteiriço, como destino ecoturístico de excelência” e assenta no conceito “dois países, um destino”.

O socialista, que é também presidente da Câmara de Viana do Castelo, exigiu ainda “a adequada e definitiva resolução, até início de Março, da constituição do AECT - Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Rio Minho”, para evitar “o prolongamento do processo de decisão em circunstâncias gravemente penalizadoras para aquele território transfronteiriço”.

Na candidatura, com comparticipação de 75% dos fundos comunitários, o rio Minho transfronteiriço “é apresentado como um dos territórios mais interessantes a nível europeu por ser a zona de fronteira com maior percentagem de área protegida e classificada, a nível nacional e uma das maiores da Europa”.

José Maria Costa sublinhou, com base em números oficiais espanhóis, que “os movimentos transfronteiriços entre o Alto Minho e Pontevedra representam cerca de 47% dos fluxos de veículos ligeiros registados entre Portugal e Espanha”.
“A fronteira de Valença - Tui é o ponto fronteiriço entre Espanha e Portugal com maior intensidade média diária de tráfego de passageiros ao nível nacional, com valores claramente superiores aos registados, por exemplo, na fronteira do Algarve”, sustentou.

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia