Dar nas vistas

Escreve quem sabe

autor

Joana Silva

contactarnum. de artigos 140

Eu e tu. Nós e eles (as), gostámos de “dar nas vistas”. Ser acarinhado(a), reconhecido(a) e valorizado(a) são os elogios psicoemocionais. Afirma-se tantas vezes que os bens materiais inflamam o ciúme (forma mais diplomática e elegante para o conceito de inveja). Não é totalmente verdade.
Há pessoas que são “pobres” na sua situação económica, todavia, tem uma riqueza enorme, a do caracter, que só pela sua forma de estar e o sorriso despertam inimizades. “Chamar atenção” tem uma dupla vertente, tanto no sentido negativo quer pelo sentido positivo. Repare, hoje em dia as pessoas aborrecem-se por simples “futilidades”.

O narcismo está “em voga”, porque “Se eu sou melhor do que tu, porquê que tu te destacas e não eu?!” e daqui vem a retaliação gratuita. Os exemplos são inúmeros desde : “Falou primeiro para ele (a) quando deveria ser primeiro para mim”; “Sou o(a) mais vistoso(a), logo não divido atenções com amigos(as) que considero menos formosos (as) (- acredita vigorosamente que o é mas na realidade pode não o ser - auto -conceito e ego exagerado); “Sou o(a) melhor colaborador(a) desta empresa, “acima” e “abaixo” de mim ninguém, portanto quem falar para o(a) novo(a) colega … são opções”; por outro lado, também se revela na postura que a médio prazo se modifica - no inicio “Fala para toda a gente” , numa fase posterior quando já conhece as hierarquias “Fala só para alguns”, sobretudo de “status mais elevado”.

Posto isto “dar nas vistas” na sua forma plena e positiva está em muito relacionado com o caracter bom da pessoa. Não adiante imitar se não vier do coração. Tem de ser genuíno e sincero e o que atrai é a essência no ato de tratar bem todos (as) por igual.
Quem disser que não, está numa falácia emocional e a vida encarrega-se de evidenciar isso mais à frente.

Existe sempre um dom ou uma aptidão pessoal para algo. Se uns é na forma de estar (o que se designa muitas vezes de charme), um olhar mais enigmático (atração inexplicável pela não decifração emocional - o que está a pensar ou a sentir), a forma como se expressa verbalmente (o dom da oratória), o(a) bem- humorado(a) (tem inúmeros problemas mas está sempre de sorriso no rosto), aquele(a) que versátil e polivalente na pratica laboral entre outras inúmeras situações. Mas o que efetivamente “dá nas vistas” é o caracter da pessoa. Boas ações atraem pessoas. Reconhecemos mais facilmente “talentos “ nos outros (as) do que em nós mesmos. Focámos e queremos viver a vida dos outros.

O sucesso para “dar nas vistas” é reconhecer as nossas limitações e trabalha-las no sentido de melhoria continua. Acontece que a maioria aposta em aniquilar o carisma do(a) amigo (a), do(a) colega, do(a) familiar, muitas vezes, através de comentários “inofensivos” mas que não passam despercebidos. A titulo de exemplo, suponha que está a conversar com alguém pela primeira vez. Se entretanto, juntar-se à conversa a “sua companhia” e se intervir com comentários pouco claros e pouco construtivos do género: “ Ai estás aqui!” (mas de longe já a observar), Lá estás tu a falar.”. Ou, “não há conversa melhor para falarem?” Ou até mesmo, começar a falar de um assunto totalmente diferente ( em que domina) só para captar a atenção da terceira pessoa e mudar assim “o rumo” canalizando e desviando as atenções para si.

Não fique triste porque quem o faz “gratuitamente” sente ciúme. Há também quem não fale mas mostre pelas expressões faciais (amuado(a)), ou pela postura fechada (braços cruzados). Perante tal situação, torna-se difícil de “digerir” mas a melhor estratégia é dar espaço “a quem anseia ou está desejoso(a) por ser rei ou rainha”. De seguida olhar nos olhos e sorrir, em primeiro para a pessoa que chegou por ultimo, em segundo com quem estava a falar, e por último novamente para a terceira pessoa. Esta última vai perceber imediatamente a mensagem e irá sentir-se desconfortável porque você percebeu que ele (a) se sentiu enciumado(a). Também a pessoa com quem estava a falar irá perceber o intuito e se quiser realmente estar consigo ou voltar à conversa inicial certamente que irá contornar a situação.
A vida é uma passagem apenas e o nosso legado é o caracter.

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Escreve quem sabe

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia