Psicossomático

Escreve quem sabe

autor

Ana Paula Silva

contactarnum. de artigos 18

A palavra psicossomática é uma junção de duas palavras gregas: psico (psique) e soma (corpo). Assim, uma doença psicossomática é aquela que não é exclusivamente somática/corporal, mas tem origem na psique que inclui os nossos pensamentos, emoções e sentimentos.
As doenças psicossomáticas são problemas psicoemocionais que se transformam em doenças físicas. Ou seja, a pessoa está a sofrer muito que o corpo acaba por demonstrar, fisicamente, que algo está errado, através do aparecimento ou agravamento de doenças reais.

Estes sintomas acontecem porque o stress e a ansiedade fazem aumentar a atividade nervosa do cérebro, interferindo no metabolismo, na dinâmica do corpo e na quebra do sistema imunológico. Os sintomas mais comuns são: distúrbios gastrointestinais (flatulência, constipação, úlceras estomacais, vômitos, diarreia etc.), problemas de pele (verrugas, rosácea, herpes, psoríase, eczema etc.), dor articular e muscular, doenças vasculares (pressão alta etc.), doenças metabólicas, disfunção sexual, distúrbios do sono e enxaqueca.

Diferença entre somatização e psicossomática
Tanto na doença psicossomática como na somatização, a causa é psicoemocional, mas na psicossomática existem efeitos verificáveis no organismo e na somatização não (ex: uma pessoa tem taquicardia e vai ao médico achando que está com problema no coração, faz exames, e não acusa nada. Esta taquicardia pode ser sintoma de uma crise de ansiedade/ de pânico).
É importante compreender que os sintomas são reais e dolorosos, mesmo que não sejam justificadas por causas orgânicas. Quanto maior o sofrimento psicológico, mais graves são os sintomas.
Alguns autores defendem que a doença psicossomática surge quando pessoa tem dificuldade expressar as suas emoções e em reconhecer e verbalizar os seus sentimentos.

Há quem diga 'isso é psicossomático' como se a doença não passasse de uma espécie de invenção. Segundo Coimbra de Matos 'Todas as doenças têm fatores psicológicos mas em algumas estes são tão pequenos que não lhes chamamos psicossomáticas', diz Coimbra de Matos. Defendendo que uma depressão falhada, que não se vive, não se desenvolve, não chega a organizar-se e, portanto, não se resolve. Os sentimentos não são mentalizados, transferindo-se para a vertente somática como estados corporais.

Na visão junguiana todo sintoma é psicossomático e pode ser um meio para que o processo do autoconhecimento possa acontecer. A mente não consegue resolver um conflito emocional, produzindo mecanismos de defesa com o objetivo de deslocar a dificuldade psíquica para o corpo.
Cada patologia tem as suas próprias opções de tratamento. Se para as doenças físicas, existem os medicamentos ou operações, nos distúrbios psicossomáticos torna-se necessário complementar com a psicoterapia, uma vez que estes profissionais de saúde ao tratar a pessoa apresentam como foco os fatores psico-emocionais e sociais que podem estar na base da patologia, orientando a pessoa para o seu reconhecimento, aceitação e resolução, contribuindo para uma melhoria significativa do seu estado de saúde.

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Escreve quem sabe

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia