A habitação, a reabilitação urbana, a mobilidade, o turismo e a floresta

Ideias

autor

Filipe Fontes

contactarnum. de artigos 32

Repetidamente, no regresso de férias (que, para muitos, ainda é), muitos dizem que “novo ano começa”, quase como se este “período de estio, lazer e descanso” fosse momento de paragem e intervalo na contagem do tempo.
Na verdade, este talvez seja o período em que o tempo psicológico se desfasa do tempo físico, correndo ambos a velocidades diferentes (mas, ainda que necessariamente, sempre no mesmo caminho).
Inevitavelmente, para o território e para a(s) cidade(s), o tempo corre de uma só forma e, na realidade, os mesmos não conhecem férias, antes (porventura) sofrendo os efeitos das nossas férias…

E, hoje, ao olhar para o território e a(s) cidade(s) que nos abraçam e acolhem - seja em residência, trabalho, turismo, … - verificamos que continuam, talvez ainda mais, ricos em temas e matérias que urge reflectir, ponderar e actuar para os seus constantes e progressivos benefícios!
À nossa escala nacional e regional, entre outros, identificam-se cinco temas centrais e, como se costuma, recorrentemente, dizer “na ordem do dia”. São eles: a habitação, a reabilitação urbana, a mobilidade, o turismo e a floresta (todos sob um “chapéu” imenso chamado ambiente - sendo que também aqui, num tema, aparentemente, muito mais estabilizado, também se procura uma consolidação e robustez de conceitos, aparentemente, longe de um final consensual).

A habitação surge como a fonte de todas as soluções para o (re)povoamento dos centros das cidades , na inversão dos processos de desertificação e gentrificação, numa assunção da função como um elemento isolado e sem relação com a realidade e contexto societais actuais. Talvez por isso, se fale tanto do arrendamento urbano e, novamente, da habitação para todas as camadas sociais, confundindo-se “política de habitação social” com “política social de habitação”.

A reabilitação urbana surge ora a reboque da habitação, ora motor de desenvolvimento e devolução à cidade de actividade económica e edificado (antes) devoluto e, patrimonialmente, de interesse. E de tanto se falar e concentrar no tema, e reconhecer a sua importância (ao ponto de se criarem programas e decretos específicos, instrumentos financeiros e planos), todos se esquecem que a reabilitação, enquanto operação urbanística formal, pura e simplesmente, não existe no re- gime jurídico de urbanização e edificação.

A mobilidade emerge quase como um anátema sobre a(s) cidade(s), culpabilizando-se o automóvel e endeusando outras formas (ditas) suaves de deslocamento… Na verdade, a mobilidade é um tema que deve ser central na gestão do território. E sempre encarada de forma transversal e complexa, nunca esquecendo que a mesma é resultado do que somos, não o seu inverso.
O turismo vive um momento de interrogação e contradição. Passada a euforia do boom, consolidando-se agora os seus efeitos, emergem as reacções às suas consequências… que devem ser monitorizadas, avaliadas, controladas e alvo de medidas correctivas quando justificadas, nunca (fruto de um imediatismo fácil) demonizadas.

Por último, a floresta que, devendo (sempre) ser tema presente no território, é omnipresente neste verão por razões tristes e demais conhecidas. Que deverão ser dissipadas para, depois, se reflectir e actuar… nunca esquecendo que a lei (por muito interessante que seja), por si só, não é passo mágico que tudo resolva. E os modos não se mudam por decreto…
Provavelmente, este serão os temas dos próximos textos numa tentativa de, por mais ínfimo que seja, contribuir para a melhor responsabilidade de todos na gestão e actuação na e sobre a cidade. Responsabilidade que, como escreve Daniel Innerarity, deve incluir “o passado e o futuro, a memória e a possibilidade” na construção de um território feita mais de exigência e menos de inércia.

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Ideias

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia