Autarquia sem Glifosato/Herbicidas: o que já mudou em Portugal e o caminho ainda a percorrer...

Ideias

autor

Ana Cristina Costa

contactarnum. de artigos 149

Desde o lançamento da campanha dirigida às autarquias, em março de 2014, são já bem visíveis os primeiros resultados.
São já algumas dezenas de autarquias que já optaram pelo abandono dos herbicidas. Estas são regularmente assinaladas no mapa da campanha: http://www.quercus.pt/campanha-autarquias-sem-glifosato-herbicidas. Merecem destaque as freguesias de Praia do Norte (Horta - Açores) e Carvalheira (Terras de Bouro) que desde 2011 e 2013, respetivamente, deixaram de utilizar herbicidas pela sua própria iniciativa e motivação.
Muitas outras autarquias estão a fazer o seu trabalho adquirindo e testando equipamentos e estão portanto em processo de transição.
Verifica-se também que a oferta no mercado quer de empresas que produzem e comercializam equipamentos quer nas empresas prestadoras de serviços está a acompanhar esta tendência, havendo já oferta de soluções alternativas aos herbicidas.
A principal preocupação da Quercus é disponibilizar e fazer chegar a informação a toda a sociedade por isso tem-se dado prioridade à produção de conteúdos digitais e a participação e organização de eventos sobre alternativas aos herbicidas.
Para além dos conteúdos para o site da campanha procedeu-se à tradução para português do importante projeto europeu Pesticide Free Towns http://pesticide-free-towns.info/ da PAN - Pesticide Action Network, da qual a Quercus é parceira, acessível diretamente aqui: “Localida- des sem Pesticidas” http://www.localidades-sem-pesticidas.info/ . Este projeto tem como objetivo reunir e partilhar informação sobre abordagens e práticas sem pesticidas em várias autarquias europeias, sendo por isso uma importante fonte de preciosa informação.
Ao nível dos eventos merece destaque o Encontro Nacional “Alternativas aos Herbicidas: exemplos e testemunhos”, que se realizou no dia 30 de março de 2017 em Lisboa, organizado pela Quercus, que procurou ser um marco no debate público no nosso país. O apoio institucional da ANAFRE - Associação Nacional de Freguesias e da ANMP - Associação Nacional de Municípios Portugueses, terá sido importante para a boa adesão das autarquias. As comunicações e conclusões estão disponíveis no site da Quercus - ANCN, na nova área temática dos “Pesticidas”: http://www.quercus.pt/areas-tematicas/pesticidas e eventos, e é mais uma fonte de informação que esperamos seja inspiradora.

lll
Um dos pedidos da campanha é a mobilização dos cidadãos, pois os responsáveis políticos autárquicos serão mais sensíveis quanto maior for a consciência e pressão da população.

Um dos pedidos da campanha é a mobilização dos cidadãos, pois os responsáveis políticos autárquicos serão mais sensíveis quanto maior for a consciência e pressão da população, e assim, animados pela campanha, têm surgido, pela iniciativa individual ou coletiva, grupos de cidadãos na rede social Facebook e até ao momento existem 6 desses grupos: Sintra sem Herbicidas, Não ao uso de herbicidas em espaços públicos nos Açores, Plataforma contra os herbicidas - Sicó, Lisboa livre de Herbicidas / Glifosato, Évora livre de Herbicidas / Glifosato e Barreiro sem Herbicidas. No website da campanha há uma área reservada com algumas ideias e sugestões sobre o que o cidadão pode fazer, para além da formação de um grupo no Facebook.
Mas ainda há um longo caminho a percorrer…
A Quercus continua a receber muitos contactos de cidadãos preocupados que procuram informação e apresentam denúncias. De facto, há ainda muitos constrangimentos à abordagem sem herbicidas na gestão de espaços públicos, no- meadamente:
- Falta de conhecimento dos impactos dos herbicidas e consequente insensibilidade perante o problema por parte de autarcas o que gera, por sua vez, respostas inapropriadas perante queixas pelo uso de herbicidas.
- Pouca mobilização dos munícipes, fruto também do seu desconhecimento da real dimensão dos impactos dos herbicidas.
- Conceção dos espaços públicos, nomeadamente das áreas pavimentadas, dos espaços verdes, rotundas e separadores centrais … desadequadas à abordagem sem herbicidas.
A Quercus continuará o seu trabalho de sensibilização das autarquias, nomeadamente através das associações que as representam, a ANAFRE e a ANMP, e da população em geral, e de tradução e produção de novos conteúdos sobre o tema.

*Em co-autoria com Alexandra Azevedo, Coordenadora da Campanha ‘Autarquias sem Glifosato/Herbicidas’

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Ideias

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia