Espiritualidade e psicologia

Escreve quem sabe

autor

Ana Paula Silva

contactarnum. de artigos 18

Otermo espiritual, etimologicamente, provém do latim “spiritus” que é tradução do termo original hebraico “ruach” que significa “alento”, “energia”, “dinamismo”.
A espiritualidade distingue-se de religiosidade. A religiosidade é a manifestação exterior de uma religião, que se define por um aspeto institucional e doutrinário, que está organizada em crenças, práticas e rituais que facilitam a aproximação ao sagrado. A espiritualidade diz respeito a uma força interior que supera as próprias capacidades, sendo a procura de respostas para o significado da vida.
Pode-se dizer que a espiritualidade é uma dimensão universal do Homem, que existe independentemente das religiões, influenciando as suas perceções, motivações, pensamentos e emoções.

Em psicologia, grandes nomes focaram esta dimensão do ser humano.
- Carl Jung mostrou que o desenvolvimento espiritual e o desenvolvimento psicológico fazem parte do mesmo processo, sendo fundamentais para o desenvolvimento do sentido ético da vida.
- Abraham Maslow afirmava que o ser humano tem uma necessidade de compreender a sua existência, e por isso, precisa de uma estrutura de valores, uma filosofia de vida, uma religião para pautar a sua vida.
- Viktor Frankl defendeu que mesmo que o cientista encontre verdades sobre a realidade humana não pode afirmar que elas resumem a totalidade do ser humano, pois este deve ser compreendido tendo por base as dimensões biológica, psicológica e espiritual.

Cada vez mais o termo espiritualidade distancia-se das conotações religiosas e relaciona-se mais com o bem-estar individual e social. Atualmente, e dentro da Psicologia Positiva, Snyder e Lopez veem a espiritualidade como a atenção ao sagrado da vida e como um estado da mente que é de acesso universal, afirmando que existe um consenso em que a espiritualidade é tida como um estado positivo da mente experimentado pela maioria das pessoas.

É muitas vezes referido, que atualmente as exigências sociais, culturais e económicas distanciam o homem de si mesmo, originando uma procura mais intensa pela espiritualidade, a uma maior reflexão pelo sentido da vida de forma a preencher a sensação de vazio interior. Esta estará relacionada com o que dá paz interior, podendo tornar-se uma fonte de força durante uma crise, diminuindo a vulnerabili- dade a aspetos negativos da vivência.

Pode-se então dizer que a espiritualidade também é uma ferramenta de proteção e promoção da Saúde, lida esta no seu sentido mais lato “um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de afeções e enfermidades” (OMS).
A psicologia tem o papel de compreender o homem na sua totalidade, sendo dever do psicólogo tornar-se um agente de promoção do contato do homem com o seu todo, em prol do seu bem-estar. Sendo a espiritualidade parte do mundo interno de cada ser humano, a verdade dentro de cada um tem de ser construída pelo próprio, devendo este ser ouvido e compreendido por especialistas que consigam examinar, com abertura, todas as suas dimensões: física, psicológica, emocional e espiritual.

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Escreve quem sabe

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia