Dia da Europa: história, valores e futuro!

Ideias

autor

Alzira Costa

contactarnum. de artigos 53

Na próxima semana, mais especificamente na terça feira, dia 09 de maio, celebra-se o Dia da Europa.
São quase 70 anos que se assinalam desde a Declaração de Robert Schuman, então ministro francês dos Negócios Estrangeiros. «A paz mundial não poderá ser salvaguardada sem esforços criativos que estejam à altura dos perigos que a ameaçam». Foi com esta frase que começou a sua intervenção e, em boa verdade, podemos afirmar que com ela começou também o projeto europeu a ganhar forma. Este apelo à criatividade na concertação de esforços era tão real e, simultaneamente, tão futurista, que estamos quase há 70 anos em paz num continente historicamente marcado por guerras e num mundo onde existem 40 conflitos armados ativos que tiram a vida a mais de 170 000 pessoas por ano.
«A Europa não se fará de uma só vez, nem de acordo com um plano único. Far-se-á através de realizações concretas que criarão, antes de mais, uma solidariedade de facto». A solidariedade é, de facto, o cimento que assegura a coesão da União Europeia (UE). No entanto, repetidamente vemos exemplos de ações por parte de Estados-Membros que nos fazem refletir sobre este princípio crucial e orientador. Seja com construção de muros/fronteiras, seja com o anuncio de encerramento de universidades, seja até com comentários preconceituosos de decisores políticos com responsabilidades supranacionais. Não é em vão que o termo solidariedade é referido 16 vezes nos Tratados e não é menos verdade que esses mesmos Tratados foram ratificados por todos Estados-Membros (convém não esquecer esta reiteração ao termo que não é, certamente, aleatória).
O mundo encontra-se em constante, e veloz, mutação. Aos vários conflitos já existentes parece que cada vez mais se caminha para um novo conflito desta vez entre os Estados Unidos da América e a Coreia do Norte. Na Europa ainda está por se resolver a problemática Ucrânia vs Rússia. No entanto, em vez de “nos sentarmos” juntos numa posição de força, num futuro próximo, já teremos de o fazer apenas a 27, ainda tendo que aguardar, muito brevemente, os resultados eleitorais em França.
É verdade que a UE foi-se construindo, e reinventando, muitas vezes na sequência de crises e falsas partidas, mas é verdade também que existia vontade para que se encontrasse uma solução. Acredito profundamente no projeto europeu e tenho receio que deitemos tudo a perder por discursos demagógicos e populistas que, com o tempo, tendem a esbarrar de frente com a realidade, mas que deixam muitas consequências (algumas irreparáveis).
Ao longo de muitas gerações a “Europa” foi sempre considerada sinónimo de futuro. Somos o maior produtor de ciência do planeta, somos o maior doador mundial, partilhamos um verdadeiro espaço de democracia, tolerância, liberdade, investimos tanto em despesas sociais como os restantes países do mundo todos juntos (e representamos apenas 7,1%).
Tantos são os exemplos que aqui poderíamos invocar para mostrar o quanto vale a pena continuar como ator nesta peça de teatro e não como mero espectador. Por vezes tendemos a negligenciar o que damos por adquirido, assim, um dos desafios que aqui deixamos aos leitores é ponderar sobre o futuro do projeto europeu sem considerar o que está adquirido, até porque, pode efetivamente não estar. Para isso trazemos a questão levantada pelo Presidente Juncker aquando do lançamento do Livro Branco, documento que traça reflexões e cenários para a UE em 2025: “que futuro desejamos para nós próprios, para os nossos filhos e para a nossa União?”.
Outro desafio que deixámos é participar nas nossas comemorações do Dia da Europa. Este ano, além dos 60 anos dos Tratados de Roma assinalam-se 30 anos do Programa Erasmus.
Participe! Em Barcelos numa Flashmob com estudantes Erasmus e contacte diretamente com a liberdade de circulação que o projeto europeu proporciona. Em Vila Nova de Famalicão, num conjunto de ações como europeddy-paper (ruas do centro da cidade), roteiro por 6 países da UE (Casa da Juventude), mural com reflexões, sofá azul e dança (estas ações decorrerão no espaço exterior da Casa da Juventude). Poderá ainda obter material informativo gratuito sobre a União Europeia.
Participe e vivencie na primeira pessoa o conceito de cidadão europeu!

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Ideias

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia