Gostar mais, conhecer melhor!

Voz às Escolas

autor

Manuel Vitorino

contactarnum. de artigos 15

Decorreu no passado dia 14 de março, no Auditório Carolino Ramos, na escola sede, a apresentação do Livro do Professor do Agrupamento de Escolas de Monserrate - Geoparque do Litoral de Viana do Castelo, que esteve a cargo do coordenador do projeto, Ricardo Jorge Carvalhido.
O orador deu a conhecer este projeto de âmbito municipal, que apresenta 11 propostas pedagógicas, direcionadas para as áreas como a Biologia/Geologia, Geografia e História, e para os níveis de ensino do 1.º Ciclo ao Secundário. Em todos os percursos pedagógicos propostos existe a possibilidade de serem trabalhadas outras áreas curriculares, promovendo assim a interdisciplinaridade.

Seguiu-se a intervenção de Ana Sofia Marinho, para apresentar o Orçamento Participativo Municipal do Geoparque, que permitirá às escolas apresentarem propostas nas áreas temáticas, que contemplem a utilização da Rede Escolar de Ciência e de Apoio à Investigação Cientifica, constituída por 6 unidades laboratoriais e 1 núcleo de memória, a instalar nas escolas sede de agrupamento.
Esta apresentação suscitou muito interesse aos docentes presentes, que desenvolvem o seu trabalho nos dez estabelecimentos de ensino/escolas que constituem este Agrupamento, localizados num vasto território, que se estende do centro da cidade às freguesias do litoral norte do concelho de Viana do Castelo.

Balanceados sobre o oceano, temos o privilégio de estar junto à Porta do Atlântico e na proximidade de património relevante que integra o Geoparque do Litoral de Viana do Castelo.
Podemos dizer, que sem ainda existir formalmente, já pertencíamos ao Geoparque do Litoral de Viana do Castelo. É por isso, que aderimos sem reserva a este projeto, que constitui um imenso mar de oportunidades educativas, sejam curriculares ou de complemento curricular.
Tirando partido desta recurso e da logística criada, o alargar de horizontes da sala de aula pode materializar-se nas aulas de campo, na recolha de dados ou de amostras, no ensino experimental, permitindo uma melhor apropriação do conhecimento científico, da sua terminologia específica, dos processos, das metodologias, para entender melhor a construção do real físico e social, deste espaço.

Aqui, o conhecimento, tradicionalmente disciplinar, pode convergir para uma abordagem mais temática, integradora, que dá sentido à diversidade da litologia, das formações geológicas, das suas formas, do tipo de ocupação do solo, da fauna e da flora, da estrutura do povoamento, do aproveitamento dos recursos naturais, do património edificado, da história local e regional, da geografia e ecologia humanas deste território.
Nesta perspectiva, seremos não apenas consumidores passivos mas construtores do currículo escolar, criando as oportunidades para que a dimensão local/regional possa complementar a dimensão nacional, enriquecendo-a. Já o fazemos, por exemplo com o projecto “náutica nas escolas”, de que fomos precursores e, através de vários projetos de âmbito nacional, como o “Eco-escolas” ou o Centro de Formação Desportiva de Surf.

Neste processo de apropriação do conhecimento e das dinâmicas que existem e se interligam neste território do Geoparque, interessa despertar nos nossos alunos o gosto pela conservação dos recursos naturais e culturais, promovemos atitudes cívicas de intervenção e de uma verdadeira consciência estratégica para o aproveitamento racional desses recursos, através da promoção efetiva do desenvolvimento sustentável, articulando a base económica, com a ambiental e a social.
Há todo um potencial de exploração da geografia dos afetos, da ligação às paisagens - mar, rio, montanha -, ao sentido de pertença à comunidade, que pode ser a o catalisador no agir individual para mudar o agir colectivo.

Importa ainda salientar, que o Geoparque incorpora uma vertente educativa capaz de ajudar cada criança/jovem/adulto a sensibilizar-se para as questões ambientais, desenvolver a sua “agenda 21 pessoal”, consubstanciando o lema da sustentabilidade “Pensar globalmente, agir localmente”.
Só gostamos do que conhecemos, por isso, o Geoparque do Litoral de Viana do Castelo pode ser também um desafio a cada um de nós: gostar mais, conhecer melhor!

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Voz às Escolas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia