Dar Asas para Voar

Voz às Escolas

autor

Maria da Graça Moura

contactarnum. de artigos 77

A Unidade de Multideficiência do Agrupamento de Escolas André Soares (UAE) acolhe quinze alunos, a alguns dos quais tem proporcionado atividades lúdico-pedagógicas, nas interrupções letivas, no âmbito de uma experiência testada pelos seus pais. Foi este um passo para se ensaiar uma resposta urgente e necessária que, provavelmente, motivou a construção do projeto Dar Asas para Voar. Este projeto, assumido pelo Centro Cultural e Social de Santo Adrião, venceu o primeiro concurso de empreendedorismo social, promovido pela Câmara Municipal de Braga e pelo IES - Social Business School.

O Agrupamento André Soares apoia este projeto, que tem por objetivo a criação de um acompanhamento para crianças com necessidades especiais que frequentam a UAE, fora dos períodos letivos. Esta resposta é tão pertinente quanto urgente, colmatando uma das preocupações fundamentais das famílias, preenchendo uma lacuna existente no concelho de Braga, no que diz respeito ao acompanhamento de crianças e jovens com multideficiência.

As Unidades de Apoio Especializado são espaços organizados dentro das escolas onde os alunos com multideficiência podem usufruir de respostas educativas adaptadas às suas necessidades, com o apoio de profissionais especializados que, com muita dedicação e empenho, se esforçam por criar as condições necessárias para prestar uma resposta de qualidade, adequada a cada um dos alunos. Devido à falta de recursos humanos, nem sempre é possível assegurar e organizar, de modo funcional, os apoios terapêuticos e psicológicos específicos, numa perspetiva pluridisciplinar.

Todos sabemos que as necessidades múltiplas das crianças, e das famílias com necessidades adicionais de suporte, implicam uma resposta abrangente que inclui educação, saúde, segurança social e outros tipos de apoios. Daí a necessidade de uma resposta, que não pode ser dada por um único serviço, mas sim por uma rede de serviços coordenados e integrados de apoios e recursos da comunidade, que deverão ser parte ativa dessa mesma resposta.

O nascimento de uma criança com multideficiência provoca na família uma amálgama de emoções e de sentimentos no confronto com a nova realidade que, obrigatoriamente, implica alterações no equilíbrio da estrutura familiar. Todos os apoios são essenciais, não só para o bem-estar dos pais, mas para o desenvolvimento dos filhos. As famílias com um filho com incapacidade sentem necessidades complexas em diferentes dimensões: necessidades de informação, necessidades de suporte, necessidades de serviços da comunidade e necessidades sobre o funcionamento da família, pois as tarefas, as exigências de tempo e as despesas aumentam consideravelmente.
As redes, principalmente as de parentesco, demonstram como funcionam a solidariedade, a entreajuda familiar e a troca de bens e serviços entre si.

O trabalho em rede é determinante para dar resposta do ponto de vista das políticas públicas. Os problemas sociais que as famílias com crianças e jovens com multideficiência enfrentam é gigante e requer um apoio social abrangente. Os serviços autárquicos devem, através de uma rede de apoios sociais locais, colaborar para uma vida digna dessas famílias.
O Agrupamento André Soares inclui duas UAE, assegurando que a inclusão é um movimento educacional, mas também social e político que deve defender o direito da sociedade participar, de uma forma consciente e responsável, na aceitação, inclusão e integração da diferença.

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Voz às Escolas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia